Xkriba - África, Liberta-te | Album




Resumo para o Álbum de Xkriba - Africa Liberta-te

Durante aproximadamente dois séculos os africanos foram reduzidos pelos brancos europeus a inferiores, bárbaros e selvagens. A colonização – acompanhada absurdamente por um discurso “civilizatório”, pela violência e o racismo – os destruiu física, ontológica e epistêmicamente”. A partir da década 60 impulsionado pelos movimentos como pan-africanismo fundando por pensadores como Du Bois e Kwame Nkrumah e negritude fundado por Aimé Césarie e Léopold Senghor, a África começa gradualmente o processo de independência colonial. Até a década 90, estimulado pelo avanço dos movimentos nacionalistas e guerras de resistência colonial, África se torna na sua totalidade “colonialmente independente”. Mas será que somos realmente independentes? “África liberta-te” remete-nos – através do Ritmo Arte e Poesia e seguindo a perspectiva crítica e desconstrucionista da escritora moçambicana Paulina Chiziane, uma das grandes referências da literatura africana – a uma refexão profunda sobre essa questão. “África liberta-te” parte de dois princípios; primeiro, que a relação dominante-dominado, superior-inferior, civilizado-bárbaro ainda caracteriza a estrutura geopolítica e “geoepistêmica” mundial, sendo a África o continente mais inferiorizado dentro dessa estrutura hegemónica; segundo, que mais do que física a colonização foi e continua sendo mental, razão pela qual é preciso “descolonizar as mentes”. Daí o apelo África liberta-te.
por Albino José Eusébio
(Sociólogo)





Mais links de DOWNLOAD: iTunes | Junodownload | Beatport | Amazon | Spotify |

Artista : Xkriba
Album: África liberta-te
Gravacao : B record e Xiba Record (Moçambique)
Mistura: Amen Hill ( Xiba Record)
Master : Bandulu Dub (Dan Dada Records - Portugal/Espanha)

Faixas (produção instrumental):  Introdução, Eu faco parte, Sonhos envelhecidos (Produzido por Fu Beatmaker)  África liberta te , Origens e personalidades, Ninguém sente ( Produzido por Intelektu)  Converso comigo, Sequelas , Kanimambo (produzido por Vulcão)  Preso no Sistema (produzido por Mr Proto)  Tudo pela Paz (produzido por Master Uvas)  Hip-Hop no coração (produzido por Billy Ray)

Participações : Eu faço parte ( ft Amen Hill), Origens e personalidades ( ft Homoplata, Duplo Fuzzileiro , Eddie Man), Tudo pela paz (ft Amen Hill, Blaze 5th), Hip-Hop no Coração (ft Amen Hill).

Produção executiva : Mac Dog
Direção artistica: Fu da Siderurgia
​Design da Capa: Mediagenius